Muito se tem falado sobre storytelling nos últimos anos. Esse conjunto de técnicas já abraçadas por marcas consagradas em todos os segmentos também se mostrou sedutor no mundo do comércio eletrônico. O termo que remete às práticas de narrativa aplicadas às empresas se propõe tocar o consumidor em seu lado mais sensível: o emocional. Matthew Luhn é um dos grandes nomes por trás da disseminação do tema ao redor do mundo. Escritor, animador e consultor, há mais de 20 anos, ele ajudou a criar histórias de sucesso nas animações da Pixar. Títulos como Toy Story, Monstros, Inc, Procurando Nemo e muitos outros contaram com seu toque de mestre.

Luhn defende que os storytellers, ou “contadores de histórias”, se preocupam em criar uma imagem macro, não apenas em mostrar um produto. Isso faz das marcas que se aperfeiçoam nessas práticas fortes competidoras no mercado. E mais, é delas que o consumidor se lembrará no futuro. Segundo ele, pesquisas apontam que os consumidores gastam cerca de 4 anos de suas vidas apenas sendo impactados e se esforçando para deletar spams e propagandas sem propósito. Ninguém quer ser responsável por um efeito assim em seus clientes, certo?

O segredo para fugir desse perfil seria criar o sentimento ideal no seu consumidor. “Não importa o que você está fazendo na sua vida, seja arte, seja uma start-up ou criando uma empresa, certifique-se de que você está deixando as pessoas com um sentimento. E, quando você souber qual é esse sentimento, ele se tornará a sua estrela-guia para todas as decisões que você tomar, desde o seu logotipo ao seu site e, até mesmo, aos personagens em um filme. Tudo isso se moverá em direção a um único objetivo. (…) Então, seja o que você estiver fazendo na vida, sempre se pregunte: o que eu quero que as pessoas sintam? O que eu quero deixar com elas?”, afirmou Luhn em uma palestra TEDx Talks, em fevereiro deste ano.Storytelling Casal no Computador

O casamento: storytelling e e-commerce

Incluir o storytelling na estratégia do seu e-commerce é, sem dúvidas, um projeto desafiador, mas que promete uma virada na relação da sua marca com os usuários. Explicamos o porquê em seis motivos.

+ Diferenciação

Começar um negócio online se torna mais fácil, ano após ano, com o surgimento de soluções tecnológicas mais completas e acessíveis. Consequentemente, mais lojas virtuais disputam a atenção do consumidor. No entanto, já ficou provado que a conquista não é de quem fala mais alto. Para que o namoro se transforme em casamento, é preciso estratégia. Nisso, o storytelling pode ajudar. Com as técnicas certas, a marca passa a se diferenciar mais facilmente dos seus concorrentes.

Como aplicar? Investir na mensagem, no tom e na história contada na página de “Sobre a Empresa” já é um bom começo. Revelar o time por trás da operação da sua loja, no blog ou nas redes sociais reforça o toque “humano” essencial para que a operação virtual funcione. Outra forma é mostrar aos usuários por meio de banners, por exemplo, a origem dos seus produtos, se esse elemento agregar valor à sua marca. Trabalhe o conteúdo em diferentes mídias: blog, redes sociais, páginas da loja, páginas de parceiros, entre outras opções.

+ Fidelização

Sim, abraçar esse conjunto de técnicas pode refletir expressivamente na sua fidelização. Um e-commerce que se preocupa em contar sua história de forma cuidadosa e estrategica em todos os pontos de contato precisará conhecer muito bem o seu público-alvo. Por isso, precisará sair da sua zona de conforto e aprimorar suas táticas de marketing para lapidar suas personas.  Isso inclui: ter certeza de quem são seus consumidores, do que eles gostam, com o que se importam, como se comportam online e no mundo físico, além dos motivos que os levariam a escolher sua loja.

A clareza desses pontos ajudará o lojista não só no seu storytelling, mas na evolução do seu serviço. Como resultado, a loja virtual ganha força, os consumidores passam a retornar e, mais que isso, se tornam embaixadores da marca.

Como aplicar? Se o seu público-alvo valoriza a responsabilidade social, mostre a ele quais causas a sua marca apoia e como faz isso. Caso seus compradores sejam heavy users de redes sociais, crie campanhas de engajamento que realcem os valores da marca, estimulando o compartilhamento; pode-se, por exemplo, mostrar no site as interações dos usuários com os produtos postadas por fotos nas redes sociais. Não esqueça de “falar a língua” do seu comprador nas suas comunicações.

+ Credibilidade

Comprar no ambiente online requer, em primeiro lugar, confiança. O e-commerce nacional se profissionaliza mais, ano a ano, com lojas virtuais e fornecedores de tecnologia de alto padrão. No entanto, se o consumidor não conhece a marca, além de todos os elementos de segurança que já mencionamos no blog, as técnicas de storytelling podem ajudar o lojista a mostrar sua cara e ganhar credibilidade.

Como aplicar? Mostrando que a equipe de suporte está disponível para tirar dúvidas, ou seja, que existe um time confiável conduzindo a operação. Trabalhe fotos ou vídeos da sua equipe ou dos produtos e serviços que a loja oferece. Use imagens de qualidade e torne a informação transparente e didática nas suas páginas e mídias. E, claro, não conte apenas a história do que a sua loja vende, mas mostre seus valores e como a sua marca se importa com o seu usuário.

Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais!

Conheça mais sobre a Rakuten Digital Commerce:

Quero visitar o site!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários