Garantir a gestão de estoque eficiente no e-commerce é uma tarefa inseparável da análise de dados. Relatórios de tráfego e conversão, histórico de vendas, número de cliques em ofertas, palavras-chave mais usadas em pesquisas, entre outros indicadores. Com tantas informações disponíveis, uma vantagem em relação ao varejo no mundo físico, é possível fazer previsões muito assertivas. O que inclui desde o volume de mercadorias a serem adquiridas ou produzidas, até os custos com armazenagem e as vendas para o período.

Acertar nessa conta quer dizer que a empresa otimizará os gastos de estocagem ou, ainda, não perderá vendas por falta de produtos. Somado à expertise de quem opera diariamente esse sistema, podendo avaliar os próximos passos e consolidar as análises em um bom planejamento estratégico, sua loja virtual só tem um caminho pela frente: crescer.

Confira três (3) dicas de como um planejamento eficaz pode ajudar na gestão do seu estoque.

Gestão-De-Estoque-Ecommerce-Mulher-Empacotando-Produto

1 – Reúna todas as informações

O primeiro passo é levantar todos os dados que serão úteis para a sua análise.

Dados externos

Como se comporta o seu público alvo, quais as expectativas de venda ou de crescimento do seu segmento ou nicho, fatores político-econômicos, resultados dos seus concorrentes. Reunir essas informações, a partir de pesquisas em motores de buscas, entidades de pesquisa como IBGE e SEBRAE, divulgações dos seus concorrentes e de empresas de tecnologia, entre outras opções, serão importantes para o seu trabalho de análise ambiental. Assim, você terá sempre um quadro macro e atual do cenário em que sua empresa e sua gestão estão atuando.

Dados internos

Histórico de vendas, informações do seu site (tempo de permanência, origem do tráfego, páginas mais clicadas etc), taxa de conversão, produtos com maior ou menor rotatividade, volume em estoque, taxa de ruptura, por exemplo. Esses dados, disponíveis tanto na sua plataforma de e-commerce, quanto no seu sistema de ERP, ou no Google Analytics do seu site são fundamentais para a sua análise interna.

Com eles, é possível entender se a produção ou compra de mercadorias atendeu a demanda nos últimos períodos, se foi insuficiente ou se gerou excedente; se o seu controle está funcionando bem ou se há divergências entre as quantidades ofertadas e o volume armazenado disponível; se um determinado produto tem saída ou se gera interesse, mas não converte em venda.

Tendências e Sazonalidade

Indicadores de tendências e sazonalidades podem ser encontrados tanto internamente quanto fora da sua loja virtual. Seu histórico de vendas, por exemplo, mostrará quando determinada linha de produtos é mais procurada e vendida. Ferramentas abertas, como o Google Trends ou o Planejador de Palavra Chave do Google AdWords também são boas opções para compreender as movimentações do mercado, quando um termo é mais buscado e quando sua pesquisa cai drasticamente.

Isso o ajudará a saber o momento exato de anunciar e o que promover, reduzindo as chances de ficar com mercadoria parada em estoque. Tenha em mente o conceito de “Time to Market”, período da fabricação até quando o produto fica disponível para o consumidor, e defina seu mix de produtos com base nos acontecimentos do seu mercado. Assim, sua loja virtual fará a oferta certa no momento ideal.

2 – Trabalhe na previsão de demanda

Quanto mais precisa e confiável for a previsão de demanda, menor o estoque parado e, consequentemente, o peso financeiro que a mercadoria excedente implica. Existem dois grupos de métodos que podem dar conta dessa tarefa para a sua loja online, utilizando os dados e o capital intelectual que você já dispõe: os quantitativos e os qualitativos.

Os modelos qualitativos podem ser divididos em dois, os de avaliação subjetiva e os exploratórios. No primeiro grupo, incluem-se:

  • Julgamentos de executivos e gerentes
  • Pesquisas de opinião com equipe de vendedores
  • Pesquisas com o seu consumidor

Já os métodos exploratórios baseiam-se no histórico para prever os eventos futuros. Entre os mais conhecidos estão:

Construção de cenários

Simulação do que ocorreria se um conjunto de hipóteses se concretizasse (levantamento de dados, definição de objetivos, análise das variáveis internas e externas, construção de cenários, probabilidades e cálculo da previsão de vendas para cada um deles).

Método Delphi

Um painel de especialistas responde questionários, dos quais, a partir do segundo, as respostas baseiam-se nas anteriores. Os resultados são compartilhados para que as previsões de todos considerem as mesmas informações.

Método de Analogia

Faz uma análise desde a introdução até o crescimento de um produto/projeto similar.

Por resultarem em previsões mais subjetivas, são modelos, normalmente, utilizados para complementar os métodos quantitativos. Estes, por sua vez, reúnem as técnicas mais precisas e utilizadas de calcular a demanda: as séries temporais e os modelos causais.

  • Séries temporais – incluem cálculos como extrapolação, amortecimento exponencial (suavização ou ajuste exponencial) e médias (simples e móvel). Além do conhecido método Box-Jenkins (ARIMA) em que são feitas análises de autocorrelação de uma série histórica para estimar os parâmetros e reduzir o erro dos cálculos.
  • Métodos causais – incluem correlação e regressões simples e múltipla, bem como modelos econométricos, para prever a demanda.

Não se limite a olhar para o seu histórico. Tenha sempre em vista o cenário atual e as flutuações que podem ocorrer no futuro. Com uma boa previsão, você conseguirá melhorar sua gestão de estoque. Além disso, poderá planejar melhor suas ações de marketing, reduzir reclamações no SAC e, ainda, gerar mais vendas.

Gestão-De-Estoque-Loja-Virtual-Mulher-Empacotando-Produto

3 – Mantenha o Controle

Estabeleça processos de controle que reduzam os desvios e permitam quem sua empresa atinja seus objetivos, apesar dos imprevistos do período em questão. Essa é uma medida fundamental para uma boa gestão de estoque.

  • Planejamento: tenha à mão as previsões de demanda da sua loja online e considere que os riscos variarão de acordo com seu público-alvo. Um e-commerce que vende para o consumidor final terá que lidar com mais oscilações do que outro que atua com o modelo B2B (Business to Business), por exemplo. Planeje suas atividades de curto, médio e longo prazo. Escolha seus fornecedores e defina seu plano de compra ou de produção, se fabricar seus próprios produtos. Se trabalhar com serviços, considere as contratações para os períodos de alta demanda estimados no seu plano.
  • Controle: Monitore sua demanda e suas taxas de conversão em vendas, revisite seu planejamento e acompanhe seus fornecedores.

Há vários sistemas no mercado que podem ajudá-lo na gestão do estoque e que podem ser integrados à sua plataforma de e-commerce. Se está dando os primeiros passos no comércio eletrônico, não descuide desse ponto. Mantenha seu controle, ainda que por planilhas atualizadas manualmente. Sistematizar essa etapa do processo evitará dores de cabeça. Sua loja virtual também melhorará o relacionamento com clientes e fornecedores e evitará gastos desnecessários. Ou seja, facilitará sua operação diária.

Gostou da matéria? Continue acompanhando nossas novidades aqui no Blog!
Quer conhecer as soluções da Rakuten Digital Commerce para a sua loja virtual?
Acesse nosso site
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments