Pensar fora da caixa é um termo que ganhou os discursos de marketing, de negócios e de tecnologia de pequenas a megaempresas em todo o planeta. Acontece que, apesar da abrangência que essa expressão tomou, a imprecisão do conceito ainda deixa profissionais inseguros sobre a sua prática. O fundador e CEO da Rakuten Inc., Hiroshi Mikitani, ou Mickey como costumamos chamá-lo carinhosamente, comentou sobre o tema. Confira nesse artigo as formas mais eficientes de promover a inovação atualmente segundo Mickey.Pensar Fora da Caixa Criança em Caixa“Em uma reunião recente, alguém me perguntou: “Mickey, como você tem ideias fora da caixa?”. Eu respondi: “Eu não tenho uma caixa”.

Pensar “fora da caixa” é um mantra da inovação e é o que muitos líderes frequentemente dizem aos seus funcionários para fazê-los pensar em grandes ideias. Mas eu argumentaria que a chave da inovação não é pensar fora da caixa. É simplesmente rejeitar a ideia de “caixa”.

“Caixas” são normalmente definidas por um observador da indústria, como um analista, ou pela academia. Pense sobre a forma com a academia se organiza em assuntos, como matemática, física, química, biologia.

É assim que vínhamos tentando entender grandes volumes de informação. Mas o conceito está ultrapassado. Hoje, as fronteiras da academia estão nebulosas. Considere a questão da biologia e do sequenciamento de DNA. Estamos falando de biologia ou de ciência da computação? Ou os dois? Você pode ver como o conceito de “caixa” não resolve o problema.

Apenas dizer, “rejeite a caixa” não é mais útil. Muitos profissionais vão se preocupar sobre como é esperado que eles se comportem sem as “caixas” como diretrizes. Qual é a linha entre “fora da caixa” e “tabu”? Essas são questões que podem pesar na mente dos profissionais e preveni-los de conquistar um pensamento inovador. Eles podem se preocupar sobre irem muito longe e cometerem erros.

Felizmente, existe uma estrutura para substituir o sistema da caixa. Esse é meu segredo para ter novas ideias.

O core do conceito é: inovação é realmente o que move o crescimento econômico. Essa é a teoria de Joseph Schumpeter, que foi professor da Harvard University. Schumpeter foi também um dos maiores economistas do século XX. Ele disse que inovação era o produto das novas combinações e propôs cinco padrões de combinação: 1) a produção de um novo produto; 2) a introdução de um novo método de produção; 3) o desenvolvimento de um novo mercado; 4) a aquisição de uma nova fonte de matérias-primas; e 5) a emergência de uma nova organização de qualquer indústria.

Com esse quadro, o professor Schumpeter nos oferece uma forma de pensar e perseguir a inovação. Ao invés de confiar em uma caixa— e no que está fora dela — olhar para estruturas que nos impulsionam além de definições antigas e que permitem que a inovação surja e prospere.

Nós passamos da Era da “Caixa”. Agora, estamos no Tempo da Inovação. No lugar de pensar em linhas e em como cruzá-las, pense sobre as novas combinações e inovações que elas podem criar juntas.”

(Por Hiroshi Mikitani, Fundador e CEO da Rakuten Inc.)

Originalmente publicado em Quartz At Work.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários