Tempo de leitura: 4 minutos

foto-web

Antes de tudo, é essencial entender o motivo do investimento em mídias online. A cada dia a internet ganha mais usuários – são mais de 100 milhões só no Brasil – que adotam esse canal como fonte principal de informação e entretenimento. Essas pessoas não querem apenas estar ali, elas realmente integram a internet cada vez mais em suas vidas e são participativas, buscando também ficar por dentro das novidades e conhecer mais sobre determinadas marcas e produtos.

Investir em mídias online é optar por um canal com custo muito mais baixo do que apostar em anúncios tradicionais. Apesar disso, para obter um resultado relevante é preciso investir também em uma excelente estratégia digital. Se você já abraçou essa ideia e quer melhorar a comunicação da sua loja com o consumidor, veja abaixo algumas informações que ajudarão a dar o pontapé inicial!

Onde investir?

Não existe regra específica para essa etapa. Depende muito do detalhe mais importante: onde seu cliente está? É fundamental estar onde seu cliente estiver, ou seja, uma loja na internet precisa marcar presença nas mídias online, para ser vista e acompanhada pelos e-consumidores. Realize buscas e pesquisas para definir onde vai apostar. Veja abaixo as principais mídias online para investimento:

– SEM (Search Engine Marketing) – sites de busca: com o objetivo de promover a loja virtual nas páginas de resultado de uma busca, é possível trabalhar o SEM de duas formas. Através do SEO, conseguindo um bom posicionamento na busca orgânica – sem custo, com resultado de médio a longo prazo; ou com campanhas de Adwords (links patrocinados), no qual o anunciante paga de acordo com a quantidade de cliques recebidos no anúncio (CPC), com um retorno de curto à médio prazo.

– E-mail marketing: é a ferramenta que mais converte em vendas, chegando a representar até 40%. O modelo de negócio é o CPD, custo por disparo e para um disparo deve-se produzir uma peça com a seleção de produtos, selecionar a base, que pode ser externa, através de parceiros, interna, mailing captado a cada compra ou conteúdo oferecido. Veja como utilizar o e-mail marketing AQUI.

– Portais e portais verticais (segmentados): Pode ser feito de várias formas, como o modelo de negócio por diária. Dessa forma, quanto maior o investimento, maior o desconto dado pelo portal. Levar em consideração que o investimento e o risco são altos. Já com o modelo Faixa Horária, é possível escolher os horários em que o anúncio será veiculado. Outro modelo de negócio é por CPM e CPC, onde a venda é normalmente em canais internos dos portais e portais verticais, podendo escolher ROS, GTS ou BT.

– ROS (Run Over Site) u Ad Rotation: técnica que permite a rotação de um ou mais banners em diversos espaços e páginas de um site.

– GTS: é a impressão garantida, ou seja, só é cobrado se o leitor ficar com browser em foco na peça por 20 segundos.

– BT (Behavioral Target): Ao pé da letra, comportamento do usuário dentro do ambiente on-line. Monitora, por exemplo, as páginas mais acessadas por determinado perfil de público. Bastante utilizada para o desempenho de campanhas, segmentação.

– Rede de afiliados (sites e blogs): comissionar quem vende seu produto. Por exemplo, um dono de um site se cadastra em uma rede de afiliados como Afilio,Lomadee, etc. Lá ele tem acesso às campanhas de várias lojas: Ponto Frio, Rakuten, Walmart, etc. Cabe a ele escolher qual campanha quer veicular em seu site. O pagamento é repassado pela rede de afiliados e você só paga se vender.

– Retargeting (redes sociais e e-mail marketing): retargeting significa impactar um usuário da web pela segunda (ou terceira) vez com uma peça de comunicação dirigida baseando-se em seu histórico de navegação. Modelo: CPC. Saiba mais sobre retargeting AQUI.

– Comparadores de preço: nesse caso, o consumidor já está tendencioso a comprar o produto, mas você está lado a lado com seu concorrente. O resultado pode ser mensurado através do ROI (retorno sobre investimento) ou Cost/GMS (custo em relação à receita).

Quando investir?

Como qualquer outra ação, incluir sua empresa nas mídias online requer muito planejamento. Comece analisando a presença de outras marcas e o comportamento dos consumidores. Enquanto isso, analise se alguém da equipe está preparado para encarar essa função. Dê o passo inicial apenas quando estiver 100% seguro da mensagem que quer transmitir e de como quer impactar seus clientes.

Como investir?

As redes sociais se tornaram ferramentas poderosas para fortalecer as ações de marketing de uma marca. O objetivo principal é interagir com o cliente, compartilhar informações, incentivar o compartilhamento e medir os resultados de cada ação. Isso pode ser feito através de promoções exclusivas em determinada rede social, como Facebook e Twitter, por exemplo; anúncios pagos; publicação de imagens e mensagens com as quais seu público se identifica – e que tenham a ver com sua marca ou produto anunciado; entre outros. Se tiver sacadas muito boas, pode até seguir exemplos de grandes marcas que se destacam nas redes sociais criando personagens que interagem em tempo real com os consumidores, e até aproveitam as notícias mais importantes do dia para divulgar seus produtos. Nesse caso, porém, é preciso ter um cuidado ainda maior, pois os riscos de cometer gafes e comprometer sua imagem são grandes.

Lembre-se que o valor a ser investido deve depender do alvo, da mídia utilizada e do retorno pretendido. O auxílio de uma Agência Digital é uma opção para uma maior efetividade de qualquer campanha de marketing.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários