Tempo de leitura: 3 minutos

Vivemos na era da informação, cada vez mais dinâmica e tecnológica. Tecnologia que não para de crescer, inovar e apresentar uma gama de facilidades para as compras online, gerando rapidez e agregando valor tanto para o consumidor, quanto para o e-commerce.

A busca incessante por uma experiência de pós-venda de efeitos positivos tornou-se uma preocupação global, que vai além da relação cliente-vendedor; compõem também este processo as operadoras de cartão de crédito e todo seu aparato para garantir a segurança nas transações digitais.

Neste artigo vamos te explicar o que é o chargeback e como evitá-lo.

O que é chargeback?

Também conhecido como “estorno”, nada mais é do que o cancelamento de uma compra realizada por um cartão de crédito ou débito. Existem duas formas de ocorrência deste cancelamento:

1ª O não reconhecimento da compra pelo titular do cartão utilizado na operação.

2ª A transação efetuada não corresponde às regras e normativas determinadas pela operadora do cartão. 

O objetivo do Chargeback é evitar que o consumidor final seja lesado, ora por não reconhecer uma compra realizada com seus dados, ou por esta transação de compra não obedecer às regras previstas nos contratos das operadoras de cartão/instituições financeiras.

O chargeback nada mais é do que uma forma de verificação para auxiliar no processo de segurança da informação dos dados dos usuários de cartões (crédito ou débito).

Vivemos em uma realidade de constante transação de dados pessoais, o que causa uma grande exposição de informações a todo o momento. Implantar soluções de segurança da informação que garantam a confidencialidade dos dados dos usuários é uma preocupação constante das operadoras.

Mas afinal, como evitar o Chargeback?

A melhor maneira de se precaver do chargeback é contar com um sistema de pagamento que consiga fazer essa checagem internamente.

Quem pode solicitar o Chargeback?

Somente o titular do cartão pode fazer a solicitação para a operadora do cartão ou instituição financeira. 

Vale ressaltar que o chargeback só pode ocorrer mediante um erro ou tentativa de fraude em uma transação com o uso de cartões. Não pode ser utilizado para um arrependimento de compra, por exemplo.

Existem algumas possibilidades que podem se encaixar para que o titular efetive a solicitação de Chargeback junto às instituições:

– A ocorrência de um erro de processamento de dados nas instituições financeiras ou operadoras de cartão. Estes erros não são muito comuns e normalmente são identificados pelas próprias instituições, quando ocorrem.

– O produto comprado não foi entregue ao comprador. Neste caso, o cliente deve solicitar o cancelamento da compra para o efetivo ressarcimento do valor.

– Suspeita de tentativa de Fraude. O cliente não reconhece que fez aquela compra. Normalmente ocorre com o vazamento de informações do cartão, onde o fraudador efetiva compras sem o consentimento do titular a partir de dados obtidos anteriormente.

– Erro no valor da compra realizada. A transação possui uma divergência de valores (o valor real da compra Vs. Valor cobrado pelo e-commerce na transação).

Agora que entendemos o que é o Chargeback e como evitar sua ocorrência, listamos algumas dicas de segurança que podem ser muito úteis na prevenção de vazamento de dados e informações sensíveis:

Se você é lojista:

– Verifique o nome cadastrado para aparecer no extrato. O consumidor pode não identificar a compra porque não reconheceu o nome do e-commerce.

– Utilize um sistema de pagamento que tenha controle antifraude, como o Rakuten Pay.

– Exija outros documentos do consumidor para finalizar a compra.

Se você é consumidor:

– Nunca compartilhe, fotografe ou envie os dados de cartões para ninguém.

– O CVV (Código de Segurança) impresso no verso do cartão é único. Ele jamais deve ser divulgado publicamente.

– Não deixe que estranhos fiquem com informações do seu cartão. Elas podem ser utilizadas posteriormente para fraudes (compras indevidas).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários